ENCONTROS NOTURNOS

“Realmente, infeliz o homem cuja fama torna suas desgraças famosas, (Lúcia Acío)[1]

A mídia vem priorizando a ‘fama’ e a vida íntima de ‘celebridades’. E a juventude assiste perplexa: “Cantora surpreende a plateia ao desferir um soco em um fã; revista promete fotos picantes de atriz famosa; crime hediondo causa comoção nacional; ‘revista de famosos’ alcança vendagem recorde; jovem morre baleado diante de casa noturna; jogador corre o risco de perder patrocínio por ligação indecorosa”.

Estes enfoques provocam-me certa melancolia pela lembrança de um tempo que já passou. Recordo-me dos finais de semana em que, após o namoro, não raro me dirigia de madrugada a uma ‘casa’ com inúmeras pessoas a tornar o recinto pequeno. Por chegar tarde, já de madrugada, procurava pela ‘fresta de uma Janela’ a melhor visão do que acontecia no centro daquele salão.

Os assistentes não dissimulavam a ‘taquicardia’ e a ansiedade em matar a sede afetiva. Só que a arritmia era fruto da saudade de alguém que partira para o plano espiritual.

Aquela ‘casa’ ficava lotada em face da presença do médium Francisco Cândido Xavier. Não raro, psicografava até quatro, cinco horas do alvorecer, sendo que muitos permaneciam até o encerramento daquela festa espiritual.

Estes encontros noturnos fizeram parte de minha adolescência.

Chico Xavier, por sua vez, deve sentir saudades do dia 08 de Julho de 1927, data em que formalmente iniciou o mandato mediúnico, ainda adolescente. E, setenta anos após ser psicografada a mensagem Egoísmo, encartada no Evangelho Segundo o Espiritismo por Allan Kardec, precisamente no ano de 1931, EMMANUEL teve o primeiro contato com Chico Xavier, passando a guiá-lo na lida mediúnica sob as luzes da Codificação Espírita.

Quantas mensagens, quantos livros? Que notável trabalho assistencial, corroborando toda a obra literária. A sensibilidade mediúnica deste mineiro propiciou ensinamentos tão profundos e, infelizmente, ainda bastante menosprezados.

E adquiriu popularidade mundial, a ponto de ter sua vida apreciada, vasculhada e ironizada por muitos famosos. Narra o jornalista MARCEL SOUTO MAIOR, no livro AS VIDAS DE CHICO XAVIER, que: “Chico era um mito nacional adorado por milhões de brasileiros e menosprezado por centenas de jornalistas como eu. Chico Xavier? Não é o Chico Buarque, não? Chico Anysio? Chico Mendes? Amigos de redação ironizavam ao saberem do meu projeto.”

Apesar de céptico, o jornalista conta que obteve autorização para o trabalho jornalístico. Declarou que antes do primeiro encontro com Chico sentiu calor insuportável na mão e, logo após, recebeu de Vivaldo o presságio de Chico: “Meu pai disse que a sua biografia vai ser um sucesso. Parabéns!” De fato, a obra é um sucesso editorial, com mais de 200.000 mil exemplares vendidos.

Chico faleceu no dia 30 de junho de 2002. Dia feliz para o povo amante do futebol, num país ainda indiferente aos vultos éticos e espirituais. Como disse Chico Xavier: “Morre um capim, nasce outro”, É verdade: como se descobre o sucesso de gênios anônimos quem direciona os refletores apenas sobre o fogo-fátuo da fama? Para alguns, o retorno de Chico à pátria espiritual não tem valor algum. De fato, para os indiferentes Chico não passa de capim. Todavia, ele marcou história, representou e representa muito. Chico psicografou mais de quatrocentos livros, com número de exemplares vendidos superior a quarenta milhões, dos quais Chico não recebeu sequer um centavo. Mas não são estes dados que o destaca, mas seus exemplos, sua ética.

O Brasil desfruta, sim, de patrimônio cultural inigualável, como Chico Buarque, Chico Anísio, Chico Mendes, etc. E este patrimônio deve ser valorizado. E, nesse tentame, cumpre lembrar que a população do estado de Minas Gerais escolheu, com 704.030 votos, Chico Xavier como o mineiro do século. Teve mais votos que Pelé, Betinho, Carlos Drummond Andrade, Ary Barroso, Juscelino Kubitschek, Carlos Chagas, Guimarães Rosa e Sobral Pinto, todos com valor inabordável.

Humilde, Chico Xavier não gostava de elogios. Todavia, releve-me ao destacar o seu devotamento e disciplina no trabalho, sem os quais não poderíamos hoje apreciar a obra dos Espíritos revelada por suas mãos. Ora, o fato de não se realçar o trabalho de homens bons tem favorecido para que pífias celebridades se tornem moldes para a adolescência, contando com a ajuda dos que salientam a ignomínia, sem o mínimo respeito à dignidade da criatura humana.

O ser humano merece respeito e bons exemplos.

O fato de ALBERTO SANTOS DUMONT ter ficado, por diminuta diferença de votos, em segundo lugar na eleição do MINEIRO DO SÉCULO, realizada pela REDE GLOBO MINAS, demonstra que o homem está destinado às alturas. Todos precisam da evolução intelectual e tecnológica, Contudo, o homem carece efetivamente é de ascensão ética e espiritual.

E você, Chico Xavier, é um exemplo vivo de como alçar voos maiores.

Obrigado por ter me ajudado tanto, quando eu mais precisava!

“O único lugar onde o sucesso vem antes do trabalho é no dicionário.” ALBERT ElNSTEIN


[1]http://www.sitequente.com/frases/fama.html. Acessado no dia 08 de julho de 2008.

Anúncios

Sobre Despertar Espiritual

"Desperta-te, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te esclarecerá". Efésios 5:14
Esse post foi publicado em ARTIGOS, DOUTRINA. Bookmark o link permanente.